fbpx

Storytelling: como contar histórias te ajuda vender?

bangboo

Será que contar histórias serve somente para entretenimento? A técnica de storytelling te mostra que não! 

Esse recurso, usado no marketing com frequência, vai te mostrar que contar história pode trazer muito mais que a emoção do público. A jornada até a venda pode ser longa e para atrair o cliente toda estratégia é válida, inclusive a de contar histórias. 

Quer entender mais sobre essa técnica? Leia esse artigo até o final e saiba mais sobre storytelling!

Tópicos do artigo

O que é o storytelling?

Storytelling é um termo de origem norte-americana, onde duas palavras se unem para formar um conceito. A primeira palavra “story” significa história e “telling”, contar.
O termo storytelling se refere a estratégia de contar histórias impactantes que levem uma mensagem aos espectadores. No marketing o método é usado como uma forma de atrair consumidores e emocioná-los para levá-los a jornada de compra.
Muitos estrategistas acreditam que a melhor maneira de chegar até um cliente é através da emoção, isso porque através de sentimentos que causam empatia o cliente acaba se identificando com o personagem da história da marca e vendo um determinado produto/serviço como a solução para seus problemas.

5 modelos de storytelling

O storytelling não está limitado a uma só estrutura, ele pode ser feito de diferentes maneiras de acordo com a mensagem que se quer passar. Para você conhecer e se inspirar, trouxemos alguns modelos de storytelling populares usados no marketing. Confira: 

  1. Jornada do herói

O tipo de storytelling mais comum é um modelo conhecido como Jornada do Herói. Esse formato foi criado por Joseph Campbell no seu livro “O herói de Mil Faces”, o autor acreditava que todas as histórias seguem uma mesma estrutura que é divida em 3 atos que se dividem em 12 estágios, confira: 

  • Ato I

1.Mundo comum:

O herói está no seu mundo, antes da transformação.

2. Chamado à aventura:

um problema surge e o herói precisa partir para um missão.

3. Recusa do chamado:

O herói não aceita de imediato a missão, geralmente por medo ou insegurança.

4.Encontro com o mentor:

Uma figura de sabedoria motiva o herói a aceitar o chamado.

5. Travessia do primeiro portal:

O herói se desvincula do mundo comum e entra no mundo paralelo. 

  •  Ato II

6. O ventre da baleia:
O herói passa por provações onde ele conhece aliados e enfrenta inimigos.
7. Aproximação da caverna oculta:
O herói vence a missão, mas uma provação final se aproxima.
8. Provação Suprema
O maior desafio aparece, o herói fica fica entre a vida e a morte.
9. Recompensa:
A provação é vencida e o herói ganha sua recompensa.

  • Ato III

10. Caminho de Volta:
O herói volta para o mundo comum.
11. Ressurreição
Todo o aprendizado do herói é testado, ele novamente fica entre a vida e a morte.
12. Retorno com o Elixir:
O herói volta para a casa com o domínio final do problema e ajuda outras pessoas do mundo comum.

           2. Somos parecidos
Outro modelo de storytelling é conhecido como “Nós somos parecidos”, nele o personagem se coloca o mais próximo possível de seu espectador.  Através dele, é possível criar pontos de uma história para criar laços com o consumidor que você deseja influenciar. A estrutura desse storytelling é mais simples, porém quando bem trabalhada é igualmente eficaz. Confira suas etapas:

1. Sou parecido com você (eu te entendo);
2. Temos o mesmo perfil, sonhos, aspirações, frustrações e medo;
3. Como eu superei meus obstáculos e encontrei uma solução;
4. Por que eu decidi compartilhar minha solução com os outros.

           3. Herói por acidente
O storytelling “Herói por acidente” trata-se de um modelo onde o protagonista vive no seu mundo e sem perceber acaba se tornando uma peça chave para a solução de um problema. Essa estrutura também é composta por 4 fases e mostra que mesmo pessoas que apresentam características comuns podem se tornar, mesmo que por acidente, protagonistas da história. Confira as fases desse storytelling:

1. Você tinha um problema e descobriu como resolvê-lo;
2. Ajudou alguns amigos com o mesmo problema e eles espalharam a solução;
3. As pessoas começaram a vir até você para pedir ajuda;
4. Você é como elas, uma pessoa comum que apresenta falhas.

           4. Jornada do idiota
Apesar do nome parecer ofensivo, a jornada do idiota trata-se de uma trajetória de muita honra. Nela o foco está nos erros que o personagem comete até aprender sua lição.
É natural cometer alguns erros antes de conseguir alcançar alguns objetivos, não é? Acertar de primeira é uma exceção, não uma regra.

Por isso, nesse formato de storytelling o protagonista mostra como foi sua trajetória até chegar em seu objetivo, demonstrando que errar faz parte do processo de aprendizado, mas que para todo erro há uma solução. Esse enredo se desenvolve em 5 parte:

Você teve um começo com lutas e dificuldades;
2. Lembra-se do início da jornada, antes de adquirir conhecimento;
3. Tem orgulho de contar sua história e seus erros;
4. Incentiva o espectador para que faça melhor;
5. Mas demonstra que nem sempre foi assim.

             5. Do fracasso a fama
Esse formato é semelhante a do herói por acidente e Jornada do idiota, contudo nela o problema a ser enfretado é algo específico. O protagonista vai mostrar como resolveu seu problema e se tornou um especialista no assunto, mesmo sendo uma pessoa comum. E a partir disso ele passará a ajudar outras pessoas.
Veja a estrutura desse storytelling:

1. Você tinha um problema específico;
2. Talvez até não era assim antes, mas algo no caminho aconteceu;
3. Você fez uma descoberta!
4. Essa descoberta revolucionou sua vida mesmo você sendo uma pessoa comum;
5. E agora você resolveu compartilhar como os outros também podem sair do fracasso e ir para a fama.

Como usar o storytelling no marketing?

No marketing digital o storytelling tem vários objetivos, através dela você consegue chamar a atenção do seu público para que ele se sinta conectado com sua empresa e vire um cliente em potencial. 

Além disso, você também pode usar essa técnica para educar e informar sua audiência sobre o produto/serviço que você entrega. Assim, você pode explicar para o seu consumidor todas as vantagens de adquirir o seu produto e como ele soluciona o problema do seu cliente. 

Ao definir o objetivo do seu storytelling você pode usar os sentimentos que a jornada do protagonista irá trazer para gerar conexão com sua audiência e influenciá-los na decisão de compra. Também é possível, por meio dessa técnica, contar a história da sua marca e criar uma identidade para seu produto. 

No storytelling o importante é ter originalidade e contar sua história da forma mais criativa e atrativa possível. Assim, seu público conseguirá enxergar as soluções que sua marca entrega e uma abertura para ter um relacionamento de cliente e empresa a longo prazo. 

Exemplos de storytelling

Agora que você já conhece a técnica de storytelling, conheça 2 exemplos dessa técnica que vão te inspirar:

  • Airbnb

A Airbnb é uma plataforma online usada para aluguel de hospedagens, nela os usuários podem tanto disponibilizar um local para hospedagem quanto encontrar lugares para se hospedar. 

Nesse storytelling a anfitriã Ana conta suas experiências ao oferecer um ambiente para aluguel através da plataforma. Veja:



  • Dove

A Dove é uma marca de produtos para higiene pessoal, em sua linha o cuidado com a beleza está sempre presente e a marca sempre reforça a importância de que seus consumidores enxerguem a própria beleza. 

Nessa campanha a marca trouxe um pintor para fazer dois retratos, o primeiro foi feito através de descrições da própria pessoa e o segundo através de descrições de uma outra pessoa. 

Através desse storytelling a marca conseguiu transmitir sua missão e visão de forma implícita. Confira:

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email