fbpx

Entenda o Planejamento Estratégico de Marketing

bangboo

Você vai fazer uma viagem para fora do país. 

Conhecer um novo lugar, costumes diferentes, um mar de novidades. Mas para que tudo aconteça com perfeição, antes de arrumar as malas ou mesmo tirar seu passaporte, você precisará fazer algo que é essencial para alcançar qualquer sucesso: planejar.

E isso serve para todas as áreas da vida. Principalmente comunicação.

Para poder levar o produto, ou serviço, de bandeja até o seu público-alvo, aprender, aperfeiçoar e melhorar sua experiência, você deve ter um planejamento estratégico de marketing.

É através dele que a empresa poderá se aproveitar de todo o cenário ao seu redor. E é sobre isso que falaremos na matéria de hoje. Veja como este trabalho tão importante pode mudar o seu empreendimento e melhorar seus resultados.

Continue lendo e embarque, com passaporte ou não, neste vôo.

LEIA TAMBÉM

Conheça o poder do endomarketing nas empresas

Branded Content: como um conteúdo relevante fortalece sua marca

Estratégia de Marketing: a importância da persona

O que é um planejamento estratégico de marketing?

Um planejamento de comunicação e marketing é a transformação de uma organização de todo um cenário, micro e macro, onde a sua empresa está inserida em objetivos e metas.

Em outras palavras: é a definição de estratégias com base no conhecimento adquirido sobre o negócio, seus concorrentes, fornecedores, parceiros, colaboradores e, principalmente, público-alvo.

E como é ele quem estabelece os propósitos, diretrizes e critérios, o planejamento está presente em toda a cadeia de processos. 

Do começo ao fim, esta área faz todo o acompanhamento para se assegurar de que o seu “check list” está sendo seguido à risca, permitindo uma avaliação e, consequentemente, uma melhora contínua das ações, presentes e futuras.

Mas para que isso tudo possa acontecer como esperado, é preciso muita pesquisa.

Pesquisa, pesquisa e mais pesquisa

Conhecimento não cai do céu. Muito menos pula em nossa tela ao abrir o buscador mais famoso do mundo. 

Diversos empresários e diretores acham que conhecem o mercado, seu negócio, produto ou mesmo clientes. Mas só o estudo pode dizer se eles estão realmente certos.

Uma sede insaciável de curiosidade – sobre qualquer assunto – ir além dos dados demográficos, saber o que o seu público-alvo gosta de assistir aos domingos, se é TV aberta ou Streaming, em quais grupos eles estão inseridos em sua rede social predileta, se gostam de inverno ou verão, tudo isso faz muita diferença.

Isso porque, quando você conhece o cenário do seu consumidor a fundo, tudo vira oportunidade

Mas antes de olhar para fora, a empresa precisa primeiro olhar para dentro. 

Uma ferramenta muito utilizada para começar esta percepção do seu empreendimento é a famosa Análise SWOT. Este método consiste em, como o próprio nome diz, analisar alguns pilares fundamentais para a compreensão do negócio, que são:

  • Strengths (forças);
  • Weaknesses (fraquezas);
  • Opportunities (oportunidades);
  • Threats (ameaças).

Fatores positivos e negativos, internos e externos, enfim, todo o ambiente onde a marca está inserida. Ao colher esses dados, já poderemos ter uma pequena noção de todo o cenário e, o mais importante, definir onde queremos chegar.

Como dissemos, pesquisar é importante. E agora, você tem a certeza do porquê.

Entender o público é fundamental

Depois de “arrumar a casa”, é hora de receber as visitas.

Entender o público-alvo e, principalmente, seu comportamento é um fator primordial para se construir um planejamento estratégico de marketing e fazê-lo funcionar. Mas afinal, como o target se comporta?

Segundo a economia tradicional, o mercado ou o próprio processo de autodesenvolvimento é capaz de resolver os erros de decisão consequentes de um raciocínio limitado. 

Mas às vezes, precisamos sair um pouco do âmbito tradicional e irmos para o comportamental.

Segundo o site Economia Comportamental, esta disciplina sugere que as pessoas, de modo geral, decidem suas compras com base em hábitos, experiências particulares e regras práticas e simplificadas. Aceitam soluções satisfatórias, buscam mais rapidez no processo de decisão, têm dificuldades em equilibrar interesses de curto e longo prazo, são fortemente influenciadas por fatores emocionais e pelo comportamento dos outros.

Ou seja, a marca precisa conhecer mais de perto o seu consumidor. Quais são suas influências – psicológicas, emocionais, conscientes e inconscientes – o que o afeta, como ele reage às situações?

Informações de ouro que, quando cuidadosamente analisadas e utilizadas de forma inteligente, fortalecem toda a empresa.

Marcas e profissionais que são referência

No ano de 2018, a Nike surpreendeu a todos com a campanha “Nothing Beats a Londoner”. Um planejamento estratégico primoroso por trás da ação rendeu à marca o primeiro Grand Prix em Cannes, da inédita categoria Social & Influencer. 

Em 2014,  Johnson’s Baby resolveu transformar um bebê, que ainda nem tinha nascido, em música – convertendo dados da ultrassom em notas – com a campanha “A Sinfonia da Vida“. O resultado? Atualmente o vídeo está com mais de um milhão e meio de visualizações no YouTube.

Outro caso que podemos citar aqui, este mais recente, é do Burger King, com a campanha “Anúncio Grelhado“. A ação era a seguinte: use o app do BK para queimar o anúncio do concorrente e ganhe um Whopper de graça. Todo o planejamento da rede, usando da tecnologia como meio para realizar a operação, deu tão certo que os hambúrgueres se esgotaram rapidamente.

E para fechar a nossa lista, trazemos aqui uma parceria entre Fiat e TV Globo. Vivi Guedes, personagem da novela “A Dona do Pedaço”, interpretada pela atriz Paolla Oliveira, está estrelando as campanhas da montadora. Durante um episódio da novela, Vivi se prepara para gravar um comercial. No intervalo, vemos o reclame no ar. Nas redes sociais da personagem, stories e publicações, tanto do VT quanto dos bastidores. Uma mega operação de transmídia que só foi possível graças a um minucioso planejamento. 

Cases inspiradores que começam do mesmo jeito: planejando. Por isso é fundamental ficar de olho não apenas nas marcas, mas também nas pessoas que estão por trás do job. Acompanhe o trabalho de: Caio Del Manto, Ken Fujioka, André Foresti, Ulisses Zamboni, entre outros.

É sempre bom saber um pouco mais sobre o que está acontecendo na indústria mundo a fora. Lembre-se, curiosidade é um ponto fundamental.

Vamos fazer o nosso check list de planejamento

Depois de falarmos tanto sobre planejamento estratégico, a melhor maneira de finalizarmos esta matéria é, sem sombra de dúvidas, fazendo um check list dos pontos mais importantes que vimos. Vamos Lá?

Benefícios de se elaborar um planejamento estratégico:

  • Noção concreta de investimento necessário;
  • Conhecer seu público por meio de análises e pesquisas;
  • Levantamento de pontos fortes e fracos;
  • Clareza nos riscos e na tomada de decisões;
  • Plano de Ação;
  • Cronograma;
  • Previsão assertiva do retorno sobre investimento;
  • Coleta de dados sobre resultados;
  • Definição dos controles de desempenho, os KPIs.

É preciso entender que, mesmo com uma estratégia bem definida e em sintonia com as metas do negócio, os resultados não serão imediatos. As coisas levam tempo para acontecerem.

Mas somente por meio de um bom planejamento estratégico, podemos resolver os problemas aparentes e elevar a marca a um novo patamar. É assim que construímos retornos sólidos.

Finalmente, depois de fazer o dever de casa e planejar tudo, você pode aproveitar sua viagem. 

Até a volta!

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email